Plástica Oclusal
Dr. João Palmieri

Ministrador: Dr. João Christovão Palmieri Filho – (Brasília)

Dr. João Christovão Palmieri Filho – Mestre em Ciências da Saúde/Prótese Dentária pela UnB, Especialista em Implantodontia pela ABO-D, Especialização em Reabilitação Oral pela Clínica DATO/ Anibal Alonso em Buenos Aires.

Natureza: teórico-demonstrativo

Carga horária: 16 horas

Datas: 28 e 29 de junho de 2019

Publico alvo: Cirurgiões-dentistas clínicos, periodontistas, implantodontistas, ortodontistas, especialistas restauradores plásticos e protéticos, estudantes de odontologia e técnicos em prótese dentária.


Plástica Oclusal


Inscrições: WhatsApp 27 99501-7724 | https://bitly.com/consultodonto


Programa e Conteúdo:

Primeiro dia (28/06)

· Introdução à reabilitação oclusal:

· Bases conceituais que norteiam nosso método;

· A evolução destes conceitos;

· Oclusão ideal, normal e anormal;

· Bruxismo e odontologia do sono;

· Doença oclusal;

· Medicina oclusal;

· O papel e a importância da reabilitação oclusal;

· Intervalo

· Coleta de informações:

· Exame clínico intra e extra bucal,

· Fotografias, radiografias e outras imagens;

· Indução da mandíbula à relação central;

· Obtenção dos registros crânio-maxilar e maxilo-mandibular;

· Obtenção modelos de gesso.

A combinação de reabilitações plásticas e protéticas:

· Em primeiro lugar, não destruir;

· Até onde é possível restaurar plasticamente?

· Combinação de materiais de diferentes durezas e desgastes;

· O uso da tecnologia CAD-CAM associada à Plástica Oclusal;

· O futuro da reabilitação oral plástica.

· Vídeo “Plástica Oclusal 2011”

· Perguntas e respostas

· Diagnóstico oclusal:

· Contato em relação central;

· Contato em máxima intercuspidação,

· Contatos durante deslizes horizontais;

· Posição relativa entre os caninos superiores e inferiores;

· Comprometimento e prognóstico de estruturas dento-implanto- alveolares ;

· Comprometimento e prognóstico das articulações da mandíbula.

· Confecção da placa diagnóstico-terapêutica.

* Demonstração do diagnóstico oclusal no articulados e confecção de enceramento.

Intervalo

Projeto de reabilitação:

· Os caninos como guias do projeto;

· Setorização do enceramento oclusal;

· Forma e tamanho;

· Recursos de compensação e distorção da anatomia natural;

· A duplicação do enceramento e confecção das máscaras de acetato;

Segundo dia (29/06)

A técnica de plástica oclusal:

· Os caninos como guias da reabilitação;

· A setorização da terapia oclusal;

· Pontos, linhas e planos que orientam a execução do projeto;

· Escolha dos instrumentais, dos materiais e dos métodos;

· O ajuste oclusal;

· Fotografias de verificação;

Reavaliação Oclusal e preservação da terapia:

· Fotografias finais;

· A importância de avaliar o resultado novamente no articulador;

· Confecção da placa oclusal final;

· As revisões programadas;

· A manutenção das resinas;

Encerramento

Este curso de 16 horas foi elaborado a fim de apresentar e divulgar o nosso método. Com um conteúdo bastante dinâmico, pretende expor a lógica que norteia a reabilitação oral nos dias atuais. Se não sabemos reabilitar com acrílicos ou resinas, dificilmente saberemos reabilitar com o melhor ouro ou com o melhor diamante de zircônia.

Um capítulo especial desta aula é, em nossa opinião, aquele dedicado ao diagnóstico oclusal.

Partindo de ideias como a de James Lytlle, de tentar classificar a “doença oclusal”, propomos o treinamento do olhar clínico para perceber, dos estágios iniciais aos mais avançados, tal patologia. A identificação dos primeiros sinais de degeneração, muitos anos antes que um quadro de colapso se instale, associada a dispositivos relativamente simples, como articuladores e arcos faciais, permitem a adoção de protocolos quase intuitivos, familiares ao clínico e de resultados surpreendentes. O diagnóstico biomecânico da oclusão se dá por meio do exame clínico do aparato dento-alveolar e da análise das posições de movimentos mandibulares feitas em modelos de gesso articulados em relação central. As imagens radiológicas ou magnéticas completam a tríade necessária ao completo diagnóstico oclusal.

As outras etapas do método: projeto de reabilitação, reabilitação plástica e manutenção também estão devidamente ilustradas nas 12 horas de apresentação.

Aliás, para tratar de um tema tão árido e pouco compreendido como a “oclusão dentária humana”, durante um curso teórico relativamente extenso, é preciso ilustrá-lo ricamente com exemplos clínicos. Com signos identificáveis pelo dentista que nos assiste.

O fato de conseguirmos reabilitar uma oclusão doente, usando resinas compostas diretas com relativo sucesso, é o maior testemunho de que existem princípios que permitem sim: minimizar o desgaste, relaxar a musculatura e ainda, aumentar o conforto funcional e social do paciente submetido a uma Plástica Oclusal.